Milhões de californianos que estão desempregados durante esse período de pandemia receberão em breve um subsídio suplementar por parte do estado dourado de US$300 semanais e retroativo a 1º de agosto (2020). A ajuda vem dos US$4,5 bilhões que o estado conseguiu com a aprovação do “Federal Emergency Management Agency e vai garantir pelo menos três semanas de benefícios suplementares.

A ajuda vem numa boa hora para muitas pessoas, isso porque desde que acabou o auxílio de US$600 semanais vindos do governo federal, a situação financeira de milhões de residentes da Califórnia ficou difícil – é valido lembrar que Trump assinou uma ordem executiva, no dia 8 de agosto, depois de uma longa batalha com legisladores democratas (e sem um acordo) que pediam pela continuação da ajuda federal. A ordem executiva baixou o valor do auxílio de US$600 para US$400, mas, na prática, são apenas US$300, já que US$100 o governo federal redirecionou como responsabilidade dos estados.

A Califórnia foi o 18º estado a obter a aprovação da agência FEMA para participar do programa. Este foi configurado para  durar, possivelmente, até 27 de dezembro, mas apenas as três primeiras semanas foram alocadas, com as outras semanas  dependendo da disponibilidade de fundos federais.

O Departamento de Desenvolvimento de Emprego da Califórnia começará a processar os pagamentos para as pessoas qualificadas durante a semana que começa no dia 7 de setembro.  Em nota à imprensa, a secretária do Trabalho da Califórnia, Julie A. Su, disse “Esse benefício suplementar será essencial para a segurança básica de várias famílias, assim como também será para nossa economia que foi tão devastada pela pandemia e seus impactos financeiros”.

O pagamento de US$300 estará disponível para californianos que atualmente são elegíveis para receber pelo menos US$100 em benefícios de desemprego e que tenham provado que estão desempregados ou parcialmente desempregados devido à covid-19. Algumas organizações que lutam pelos direitos de cidadãos de baixa renda e imigrantes ilegais advogam que a exigência de que desempregados tenham que receber já pelos menos US$100 em benefícios semanais para qualificar deixa de fora os que mais precisam de ajuda.

O anúncio de que as reivindicações serão processadas a partir do dia 7 de setembro veio poucos dias depois que legisladores estaduais reafirmaram críticas ao EDD durante uma audiência pública sobre os problemas contínuos que deixaram centenas de milhares de californianos desempregados sem receber benefícios de desemprego.  Na audiência pública no Capitólio em Sacramento, a diretora do EDD Sharon Hilliard disse “Estávamos extremamente mal preparados” a um subcomitê de orçamento da Assembleia estadual. A diretora da agência federal ainda disse que melhorias na tecnologia permitiram ao EDD pagar bilhões de dólares em benefícios, mas a mesma reconheceu que precisa ser feito muito mais.

Facebook Comments