Segundo uma pesquisa realizada por quase todo mês de julho de 2022 pela Gallup e divulgado na primeira semana de agosto de 2022, os Estados Unidos continuam altamente divididos em relação à política de imigração, com 27% dizendo que a imigração deveria ser mais aberta e aumentada, 31% preferindo que seja mantida no níveis atuais, e 38% desejando que seja mais controlada e diminuída.

Embora as atitudes do presente estejam geralmente alinhadas com a estreita divisão de pontos de vista observada nos últimos anos, elas marcam um retorno a mais americanos que desejam que a imigração diminua em vez de aumentar. Essa tem sido a norma ao longo da história das pesquisas da Gallup sobre o tema desde1965.

O apoio dos americanos à uma expansão em relação a imigração atingiu seu recorde histórico de 34% há dois anos ou seja, em 2020, e se manteve em 33% em 2021, antes de cair para os 27% em 2022, talvez, em parte, pelos problemas na fronteira sul com o México. Segundo dados do próprio Gallup, durante o mesmo período de dois anos, o desejo de ver a imigração diminuir aumentou 10 pontos em relação à sua baixa histórica de 28%.

A preferência pela diminuição da imigração foi maior entre 1993 e 1995, com 65%. Isso coincidiu com um foco bipartidário em relação ao tema imigração, com o então presidente Bill Clinton pressionando pelo fortalecimento do controle de fronteiras e reduzindo a contratação de imigrantes que entraram nos EUA ilegalmente, e o governador republicano da Califórnia na época, Pete Wilson, apoiando uma proposta estadual de que excluiria os imigrantes ilegais do acesso aos serviços públicos.

Depois de cair para 38% em 2000, o desejo dos americanos por menos imigração subiu para 58% em outubro de 2001. Isso foi logo após os ataques terroristas de 11 de setembro. Quase metade dos americanos continuou a querer menos imigração até 2010, mas não mais do que cerca de quatro em cada 10 mantiveram essa visão desde então.

O desejo dos republicanos por menos imigração aumentou consideravelmente desde 2020

O desejo crescente de diminuição da imigração entre 2022 e 2022 foi impulsionado principalmente pelos republicanos, cuja preferência por reduzir a imigração aumentou 21 pontos desde junho de 2020, quando 48% expressaram isso segundo dados da pesquisa. Isso contrasta com um aumento de cinco pontos entre os independentes, para 33%, e um aumento de quatro pontos entre os democratas, para 17%.

A longo prazo, as opiniões sobre a política de imigração tornaram-se cada vez mais polarizadas. Em 2008, no final do governo George W. Bush, 46% dos republicanos e 39% dos democratas queriam que a imigração diminuísse – uma diferença de sete pontos percentuais. Em 2009, essa diferença havia aumentado em 17 pontos e, desde então, se estendeu para os atuais 52 pontos.

As perguntas da Gallup sobre a direção da política de imigração dos EUA não especifica se refere à imigração legal ou ilegal, deixando a entender que a interpretação ficou por conta dos entrevistados.

Sete em cada 10 americanos ainda veem a imigração como um benefício para os EUA

Com a maioria dos americanos, 58%, ainda querendo que o número de pessoas vindo de outros países para os EUA aumente ou se mantenha como está, a maioria também continua acreditando que, no geral, a imigração é uma coisa boa para o país desde que bem planejada. Sete em cada 10 assumem essa posição, enquanto 24% dizem que a imigração é uma coisa ruim para o país.

Porém, os 70% que veem a imigração como um benefício para o país nessa pesquisa é o menor desde 2014, mas não tão baixo quanto o medido no início dos anos 2000, quando apenas 52% disseram que a imigração era uma coisa boa para os EUA.

A maioria dos principais subgrupos de americanos atualmente vê a imigração como uma coisa boa, mas a extensão desse ponto de vista varia de acordo com idade, educação e identidade partidária. Adultos de 18 a 34 anos (83%) e de 35 a 54 anos (76%) são muito mais propensos do que adultos de mais de 55 anos (57%) a considerar a imigração como fato positivo.

Os graduados em curso superior (80%) são mais positivos sobre a imigração do que os adultos com alguma faculdade (65%) ou sem educação universitária (64%). Já os democratas (86%) são quase duas vezes mais propensos do que os republicanos (46%) a dizer que a imigração é uma coisa boa para o país. A perspectiva dos independentes (75%) por sua vez está muito mais próxima das opiniões dos democratas do que dos republicanos sobre o assunto.

Conclusão

Como um país, no geral, de mentalidade jovem, os Estados Unidos contam com a imigração para sua vitalidade econômica e cultural, e os americanos a adotam amplamente como benéfica. Mas a crise nas fronteiras dos últimos anos, em particular ao sul, com o México, provocou um debate altamente partidário sobre como lidar com a grande demanda de entrada nos EUA de pessoas provenientes de países da América Central e do Sul, e isso provavelmente está afetando a visão dos americanos em relação à imigração em um todo.

Facebook Comments