group kids studying schoolPara muitos estudantes e famílias, o processo de admissão nas universidades é emocionalmente desgastante e mentalmente exaustivo. À medida que as taxas de aceitação em boas universidades nos Estados Unidos continuam a diminuir, muitos estudantes se perguntam o que é necessário para se destacar. A pressão para ter um desempenho acadêmico excepcional é incutida na maioria dos estudantes desde a escola primária. Mas serão boas notas e pontuações quase perfeitas nos testes tudo o que é necessário?

Segundo a Command Education, uma agência de consultoria em admissões universitárias sediada em Nova York, não é. Há vários componentes para uma aplicação bem-sucedida. Os estudantes são incentivados a alcançar uma pontuação perfeita ou quase perfeita no SAT (Scholastic Assessment Test, um dos principais exames utilizados para ingressar em universidades dos EUA), fazer cursinhos intensivos para elevar sua média ponderada acima de 4.0, além de dedicar tempo para redigir uma redação de 600 palavras que venda sua personalidade sem sacrificar inteligência e charme.

Digamos que um estudante faça todas essas coisas corretamente. Eles entregam uma redação excepcional e lideram sua turma com o melhor desempenho. Contudo, quando a carta de decisão chega, ficam desapontados.

Essa realidade não é incomum. Nos Estados Unidos, um estudante deve não apenas demonstrar sucesso acadêmico, mas também mostrar um comprometimento único com um hobby, clube ou paixão, também conhecido como atividades extracurriculares.

1) Quão importantes são as atividades extracurriculares para se inscrever em uma universitária nos Estados Unidos?

Este é um dos elementos cruciais em uma candidatura universitária. Embora notas e pontuações em testes sejam fundamentais para uma aplicação robusta, para garantir a entrada em uma universidade de prestígio, é necessário mais do que apenas resultados acadêmicos.kids being part sunday school

Com cerca de 25 mil escolas secundárias nos Estados Unidos, o número de alunos destacados é significativo. No entanto, universidades como Yale, que admitem apenas pouco mais de 2 mil estudantes por ano, criam uma competição acirrada entre os melhores alunos.

O diferencial que destaca um candidato está no que o torna único. As atividades extracurriculares desempenham um papel crucial, e participar de clubes escolares, clubes de jornalismo, e clubes de simulação de Modelo ONU, embora sejam valiosos, muitas vezes não são distintos o suficiente. Os estudantes precisam escolher atividades extracurriculares que tenham um impacto significativo na comunidade, permitindo que suas candidaturas se destaquem entre as demais.

2) É preciso ter atividades extracurriculares dentro e fora da escola? Uma é mais importante que a outra?

Uma recomendação é que os estudantes busquem uma variedade de atividades extracurriculares tanto dentro quanto fora da escola. No entanto, mais importante do que onde essas atividades ocorrem é o motivo pelo qual o estudante está envolvido nelas. Engaje-se em algo que desperte genuíno e sincero interesse.

Evite participar de atividades apenas porque acredita que as universidades apreciarão. É crucial entender que a maioria das instituições de ensino consegue identificar quando um estudante está incluindo uma atividade extracurricular apenas para valorizar seu currículo. A autenticidade e o verdadeiro interesse nas atividades destacam-se muito mais do que uma lista extensa de participações.

3) Existem atividades extracurriculares inúteis para a admissão em universidades?

Muitos estudantes apresentam inscrições com currículos extensos de três páginas, detalhando todas as atividades nas quais estiveram envolvidos. Isso pode ser excessivo. É mais eficaz concentrar-se em uma ou duas atividades, tanto dentro quanto fora da escola, para demonstrar um comprometimento genuíno em causar impacto. Qualidade é preferível à quantidade, e ao focar em profundidade em suas realizações, você destaca sua dedicação e capacidade de fazer a diferença de maneira significativa.

group kids studying school club4) Existe um momento específico para começar a pensar em atividades extracurriculares?

Cada experiência desde o primeiro ano do ensino médio é relevante, mas os estudantes devem estar abertos a experimentar diferentes atividades até encontrarem algo que realmente se alinhe com seus interesses. O período entre o 8º e 9º ano é considerado ideal para iniciar essa exploração.

É importante reconhecer que pode levar de seis a 10 meses para um estudante descobrir sua verdadeira paixão, ou até mesmo optar por mudar de rumo no meio de um projeto. Isso pode ocorrer devido a uma falta de identificação com a atividade ou uma mudança nos interesses ao longo do tempo. Portanto, iniciar a busca por atividades extracurriculares o mais cedo possível oferece a flexibilidade necessária para experimentar novas coisas e adaptar-se às mudanças de interesse ao longo do caminho.

5) É importante assumir cargos de liderança nas atividades extracurriculares dentro da escola?

Nas seleções para ingresso nas universidades, é a excelência, e não a quantidade, que desempenha um papel crucial no que diz respeito à participação em atividades extracurriculares. Os estudantes que se dispersam demais podem não ser bem avaliados pelas instituições de ensino.

Busque alcançar uma posição de liderança, mas evite assumir cinco, seis ou sete cargos de liderança simultaneamente. Essa abordagem simplesmente não é viável, e as universidades considerarão isso ao analisar o perfil do estudante, concluindo que é impossível liderar tantos clubes, participar de diversos torneios, envolver-se em atividades extracurriculares externas e ainda manter um verdadeiro foco.

6) Como garantir que as atividades extracurriculares realmente me destaquem?

Envolva-se em algo que realmente desperte seu interesse, sem se preocupar com o processo de admissão. Muitos estudantes seguem a abordagem de participar de simulações da ONU, clubes de jornalismo e lideranças estudantis porque acreditam que isso atrairá a atenção das universidades.

No entanto, em geral, os alunos que se destacam são aqueles que orgulhosamente perseguem seus interesses, independentemente de quão específicos ou aparentemente “não acadêmicos” possam parecer. Existem exemplos de estudantes que até criaram suas próprias plataformas nas redes sociais para compartilhar suas paixões com o mundo. Por exemplo, um canal no YouTube para debater variedades.

Em última análise, o caminho para a admissão em uma universidade de alto nível nos Estados Unidos envolve mais do que notas e testes. O envolvimento autêntico em atividades extracurriculares é o ingrediente secreto que não apenas diferencia um candidato, mas também destaca sua capacidade de impactar positivamente a comunidade ao seu redor. Busquem paixões que os definam e se tornem verdadeiramente únicos! Para te ajudar mais, recomendamos leitura deste artigo que explora as opções acadêmicas para estudantes estrangeiros, em especial brasileiros, em universidades nos Estados Unidos.

Facebook Comments