O governo brasileiro decidiu, na quarta-feira (29), reabrir as fronteiras aéreas para turistas estrangeiros que querem viajar ao Brasil. A flexibilização saiu em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). Apesar de abrir o espaço aéreo, permanecem as restrições para trânsito terrestre ou transporte aquaviário por mais 30 dias.

De acordo com o texto oficial, “O passageiro estrangeiro em viagem de visita ao país para estada de curta duração, de até noventa dias, deverá apresentar à empresa transportadora, antes do embarque, comprovante de aquisição de seguro saúde válido no Brasil e com cobertura para todo o período da viagem, sob pena de impedimento de entrada em território nacional pela autoridade migratória por provocação da autoridade sanitária”, diz a portaria.

Ainda de acordo com o texto oficial, estão momentaneamente proibidos voos internacionais que tenham como ponto de chegada os aeroportos situados nos seguintes Estados: Mato Grosso do Sul; Paraíba; Rondônia; Rio Grande do Sul e Tocantins.

A entrada de estrangeiros nos aeroportos brasileiros foi proibida no final de março, ainda no início da pandemia do novo coronavírus. A medida, que tinha validade inicial de 30 dias, foi renovada diversas vezes. A última prorrogação foi realizada no dia 30 de junho, quando também foi renovada a restrição de entrada nas fronteiras terrestres e portos.

Apesar de o Brasil ter reaberto seus aeroportos e permitido a entrada de estrangeiros, os brasileiros estão vetados de entrar em uma quantidade considerável de destinos pelo mundo. Isto porque o número de casos de covid-19 no país ainda estão elevados. Na quinta-feira (30), o Brasil ultrapassou as 90 mil mortes por covid-19. O país ocupa a vice-liderança dos rankings mundiais de mortes e de infecções por coronavírus, segundo contagem da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Até esta sexta-feira (31), pelo menos 30 países aceitam a entrada de pessoas que tenham o Brasil como origem dos seus voos. Um dos principais obstáculos são as conexões. São poucas as rotas diretas para os destinos onde a entrada é liberada e a maioria dos voos precisa parar em lugares que não admitem brasileiros, como é o caso dos Estados Unidos. Quem esteve no Brasil até 14 dias antes de viajar está proibido de pisar em solo americano, nem mesmo em voos de conexão.

Já na Europa, apesar da entrada de turistas estar proibida, alguns aeroportos permitem que brasileiros façam conexões para outros destinos, caso de Paris, Zurique, Frankfurt e Amsterdã. De qualquer forma, no cenário atual, sair do Brasil é indicado apenas em casos de extrema necessidade.

Facebook Comments