O brasileiro Cristiano Ribeiro de Moura, que mora em Frahmingham (MA), foi preso acusado por uma Corte Federal de falsificar e vender green cards e números de Social Security. Ele estava sendo monitorado de junho a agosto, mas só foi preso no dia 6 de setembro.

De acordo com registros do tribunal federal de Boston, Cristiano foi preso sob acusação de vender green cards falsos e software para criar os documentos de forma fraudulenta. Segundo os agentes da Homeland Security Investigations que apuraram o caso, houve ajuda de informantes.

Segundo o investigador Benjamin Miller, do Departamento de Homeland Security, o brasileiro foi denunciado por dois informantes que se passaram por interessados nos documentos. O acusado teria oferecido, por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp, o green card e o Social Security por $350.

O Homeland Security afirma que os informantes não têm documentos para viver nos Estados Unidos, mas estão em um programa de proteção a testemunhas. Cristiano teria solicitado aos informantes da polícia duas fotos digitais e outras informações para a confecção dos documentos falsos. Os supostos interessados, então, com a supervisão da polícia, marcaram um encontro com Cristiano no dia 2 de julho em seu apartamento.

Os informantes continuaram com a farsa e no dia 28 de julho solicitaram mais documentos falsos pelo mesmo preço, $350. Cristiano providenciou mais um green card e um Social Security.No dia 31 de julho, o brasileiro disse aos informantes que reproduzia as cópias falsas com um software e que poderia vender esse software para eles por $2.500. Os supostos interessados aceitaram comprar o software e foram orientados sobre como usar o equipamento e falsificar os documentos.

O brasileiro foi preso no dia 6 de setembro e foi apresentado à uma Corte Federal em Boston no mesmo dia. Ele está preso em um presídio federal.

Facebook Comments