Por Lindenberg Junior

Vários estados dos EUA requerem por lei um teste obrigatório para controle de emissões poluentes ou como se diz em inglês, um “smog test”. Para passar nesse teste, que é fundamental para se completar o registro anual de um carro ou completar a transferência de proprietário (título do carro), alguns componentes são fundamentais, como o “Catalytic Converter” e o “Oxygen Sensor” (Conversores Catalíticos e Sensores de Oxigênio), para poder ser aprovado.

Na Califórnia, por exemplo, existem lugares específicos apenas para se fazer esse teste (Smog Test Only) e no qual recomendo. Por outro lado, existem lugares de mecânica em geral que também fazem esse teste – não recomendado já que se o dono do negócio não for honesto, fica fácil de ser incluso serviços desnecessários. No entanto, existem oficinas mecânicas que não oferecem esse teste e podem também não dar um diagnóstico correto do que se precisa para passar.

O fato é que cerca de 90% das vezes um diagnóstico automotivo através do scanner é dado incorretamente. Ao longo da inspeção que começa inicialmente com o uso desses scanners ou leitores de códigos (Code Readers) pode haver falha na avaliação. É comum que a codificação encontrada seja P-0420, uma combinação genérica que indica baixa eficiência do sistema de controle de emissões de gases e diretamente associado ao conversor catalítico. 

Há probabilidade de a situação ter sido causada por um entupimento no conversor catalítico, um indício de defeito nos sensores de oxigênio ou uma rachadura no sistema de exaustão. Outros problemas também podem estar relacionados. Mas é muito comum alguns mecânicos dizerem ser o conversor catalítico – o que pode te trazer uma despesa de mais de US$1000 nos Estados Unidos.

Uma peça cara porque é constituída de um núcleo metálico ou cerâmico e que se conecta às tubulações de escape do automóvel – ele recebe os gases carregados de poluentes e descarrega emissões “tratadas”, com níveis reduzidos de substâncias tóxicas. Na Califórnia é possível ver através de várias reportagens na TV sobre ladrões de “catalytic converter” – o de um Toyota Prius pode render ao ladrão até US$350 no mercado negro.

Basicamente existem três coisas que podem acontecer com um conversor catalítico que está falhando:

A) Estar obstruído – existe possibilidade de limpeza através de certos produtos automotivos como o Oxicat ou Cataclean entre outros.

B) Estar danificado – peças internas soltas ou danificadas. Nesse caso, precisa da substituição imediata. Entre alguns sintomas está o consumo de óleo excessivo e a perda de forca do motor.

Por outro lado, o sensor de oxigênio 2 (muito mais barato) pode acionar uma luz de verificação do motor (check engine) e acusar que o conversor catalítico tem falha, assim também como falhas no motor e mesmo falhas na transmissão. A substituição de alguns dos sensores de oxigênio (existem mais de um, na maioria dos carros) podem muito bem, evitar esses gastos desnecessários.

Em resumo, a melhor solução é  você  ter um bom e também confiável mecânico pois assim  pode, definitivamente,  evitar gastar centenas de dólares sem necessidade. Só porque o scanner automotivo apresentou o CÓDIGO P-0420 NÃO SIGNIFICA que você precisa de um Catalyst Converter.

Facebook Comments