No dia 12 de julho, a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC) multou o Facebook em US$ 5 bilhões por conta do escândalo Cambridge Analytica. Nesta quarta-feira (24), a companhia confirmou ter aceitado pagar esse valor para encerrar a investigação.

O escândalo estourou em março de 2018 quando vários meios de comunicação divulgaram notícias sobre as práticas comerciais um tanto quanto suspeitas da Cambridge Analytica. O The New York Times e o The Guardian foram os primeiros a informar sobre a violação de dados do Facebook onde a empresa utilizava informações pessoais adquiridas sobre usuários da rede de Zuckerberg para fins políticos. Para que ninguém desconfiasse, até então a CA usava um pesquisador “laranja” para coletar os dados sob o pretexto de fins acadêmicos.

A partir daí Zuckerberg proibiu a empresa de anunciar no Facebook, mas já era um pouco tarde demais. No total estão envolvidos no escândalo os dados de 87 milhões de pessoas no Facebook que foram adquiridos a partir de 270 mil usuários que compartilharam seus dados (e de seus amigos) com o aplicativo “thisisyourdigitallife” desde 2015.

A multa de 5 bilhões ao facebook é uma das maiores já aplicadas pela FTC, perdendo apenas para os US$ 10 bilhões negociados com a Volkswagen em 2016 devido ao escândalo dos testes de emissão de poluentes. Apesar disso, o órgão vem sendo criticado: os US$ 5 bilhões estão sendo considerados como pouco expressivos para uma empresa do porte do Facebook.

A FTC fechou o acordo com o Facebook depois de uma votação que teve três votos a favor e dois contra. Os votos contrários foram dados por dois membros democratas. Um deles, o comissário Rohit Chopra, declarou que o acordo não resolve os problemas que levaram às violações de privacidade de usuários.

No entanto, o Facebook diz que, além de concordar em pagar os R$ 5 bilhões, o acordo vai exigir “uma mudança fundamental” na maneira como a empresa trabalha. “Isso vai marcar um movimento mais forte em direção à privacidade, em uma escala diferente de qualquer coisa que tenhamos feito no passado”, diz o comunicado oficial.

Essa mudança inclui uma série de medidas, afirma a companhia. Uma delas é a documentação mais detalhada de decisões que envolvam dados dos usuários, além do monitoramento dos seus efeitos. Outra é a revisão de todos os sistemas da rede social para identificar problemas relacionados à privacidade. Já aplicativos de terceiros passarão por revisões mais rigorosas.

O Facebook garante ainda que todos os seus funcionários terão que ler os termos do acordo com a FTC como forma de reconhecer o compromisso da empresa com a proteção dos dados dos usuários.

No acordo, o Facebook prometeu também montar um comitê de privacidade formado por diretores que deverão se reunir trimestralmente para garantir que a empresa trabalhe em conformidade com os compromissos firmados com a FTC.

Facebook Comments