Para aqueles que já receberam duas doses das vacinas Pfizer ou Moderna há seis meses ou mais, uma boa notícia: a FDA aprovou o reforço com uma terceira doses de imunizante e a mistura de vacinas.

Até o momento, esses são os grupos de pessoas que podem tomar a terceira dose de reforço: quem tem 65 anos ou mais; aqueles com 18 anos ou mais e que vivem em instituições de cuidado de longo prazo; e aqueles com 18 anos ou mais que têm condições médicas subjacentes, trabalham ou vivem em ambientes de alto risco. Para aqueles que receberam a vacina de dose única da Johnson & Johnson, qualquer pessoa com 18 anos ou mais que foi vacinada há dois ou mais meses já pode tomar a dose de reforço. Para ler as diretrizes completas do CDC, clique aqui.

Além de liberar a terceira dose de reforço e, no caso, a segunda dose para quem tomou a Janssen, o CDC também aprovou a estratégia de combinação de vacinas para que as pessoas que irão tomar as doses de reforço possam decidir entre receber mais uma dose do mesmo imunizante ou escolher um diferente.

A FDA afirmou que os benefícios da vacina Pfizer superam o risco para crianças entre 5 e 11 anos de idade, ou seja, que elas podem se vacinar. A autorização de emergência da dose de reforço pode chegar já na primeira semana de novembro.

“A intercambialidade entre vacinas é uma coisa boa. É o que fazemos com as vacinas da gripe. A maioria das pessoas não sabe que marca de vacina contra a gripe receberam”, afirmou Peter Marks, diretor do Centro de Pesquisa e Avaliação Biológica da FDA, durante comunicado à imprensa.

Os EUA sofreram em média cinco ondas da pandemia de covid-19 até agora – dependendo do seu ponto de vista ao contar. E um dos temas mais polêmicos no país atualmente é a decisão de várias cidades, como Nova York e Los Angeles, além de várias empresas e corporações, exigirem comprovantes de vacinação para seus funcionários com consequência da perda do emprego, caso não tenham se vacinados.

Facebook Comments