O Estados Unidos pode adotar uma nova estratégia para simplificar a vacinação contra a Covid-19. De acordo com o Food and Drug Administration (FDA), a nova abordagem de imunização pode ser semelhante a utilizada para a vacina da gripe, com atualizações anuais. A expectativa é que a nova estratégia seja eficaz contra a propagação de formas mais graves da doença e novas variantes.

Atualmente, as pessoas que querem ser totalmente vacinadas contra a Covid-19 devem obter as duas primeiras doses da vacina. Posteriormente, cerca de dois meses depois, é possível a aplicação de uma dose de reforço, que é adaptada para proteger contra a variante Omicron.

Sob a nova abordagem, assim como as vacinas contra a gripe, a maioria das pessoas seria aconselhada a simplesmente optar pela vacina anual contra a doença. Dessa forma, também não teriam que se preocupar com a quantidade de vacinas que já tomaram ou quando tomaram. Aqueles que ainda precisam receber as duas doses iniciais – como crianças pequenas e pessoas mais velhas – usariam a mesma formulação para as três vacinas.

Segundo o FDA, as empresas fabricantes atualizariam as vacinas anualmente, através de um processo que começaria todas as primaveras. Assim como ocorre no desenvolvimento dos imunizantes de gripe, o método deve permitir que a vacina se adeque o mais próximo possível de qualquer variante que provavelmente for dominante no inverno seguinte.

“A FDA prevê a realização de uma avaliação das estirpes SRA-CoV-2, pelo menos anualmente, e o envolvimento do VRBPAC (Vaccines and Related Biological Products Advisory Committee) por volta do início de junho de cada ano, no que diz respeito às estirpes da época de Outono”, comunicou a FDA. A agência ainda afirmou que as vacinas atualizadas estariam prontas para serem disponibilizadas até setembro de cada ano.

A agência governamental ainda declarou que, se surgisse uma variante mais perigosa da Covid, poderia reconsiderar a estirpe vacinal em outras épocas do ano, “com base na necessidade da emergência”.

Alguns imunologistas e pesquisadores de vacinas dizem que a simplificação do processo tendo como base a vacina da gripe é apropriada neste momento da pandemia. No entanto, muitas questões permanecem sobre as estratégias dos reforços emergenciais.

Alguns estudiosos pensam, no entanto, que é demasiado cedo para confiar nos impulsionadores anuais. Segundo eles, a Covid-19 ainda não se estabeleceu num padrão sazonal. Além disso, o vírus SARS-CoV2 está em um processo de mudança mais rápido do que o vírus da gripe. Assim, as pessoas podem precisar de um reforço com maior frequência, especialmente porque a proteção contra doenças graves pode durar apenas cerca de quatro a seis meses

Facebook Comments