Por Deborah Hall

A natureza nos agraciou com muitos e valiosos frutos que em seu conjunto são ao mesmo tempo alimento e remédio. Se nos inteirarmos das propriedades de cada um deles, veremos que se fizermos uso racional, ou seja, consumirmos na dosagem certa e equilibrada cada um deles, seremos capazes de manter nossa saúde sem a necessidade de ingestão de medicamentos (fármacos).

Façamos aqui a diferenciação entre remédios naturais e medicamentos: se muitas vezes o fármaco é derivado de plantas, então qual a diferença? A diferença está no fato que, no remédio natural, usamos a planta com todas as suas propriedades e sem adição de químicos e produtos sintéticos (fabricados em laboratório); Já no fármaco, é extraído em laboratório, ou seja, com apenas uma das propriedades de uma determinada planta, a qual sempre é adicionado algum químico potencializador.

A utilização de remédios naturais tem crescido muito nas últimas décadas e cada vez mais encontramos setores profissionais se especializando no assunto. Mas infelizmente o uso é ainda muito baseado na “sabedoria popular”, que não pode e nem deve ser desprezada, mas que precisa ser ajustada e corrigida. Geralmente por ser difundida oralmente, sofre alterações que prejudicam o resultado final e acabam reforçando a errônea afirmação de que “remédios naturais não são eficazes”. Errônea porque são tão eficazes quanto necessitam ser, desde que usados da maneira correta e pelo tempo exigido para fazerem bom efeito.

A maçã é uma das melhores fontes de “flavonoides” (contanto que você também coma a casca) e ajuda a combater doenças do coração, derrames e câncer. O abacate é rico em potássio, betacaroteno e omega-9 , ajudando a reduzir o colesterol ruim e promovendo a regulagem dos hormônios. A amora azul (blueberry) é uma rica fonte de phytochemical anthocyanin, que desenpenha um papel importante na luta contra o câncer e as doenças cardíacas, além de melhorar a memória. Mas por agora, vamos dar mais informações e detalhes de um delicioso fruto tropical chamado abacaxi.

Essa fruta possui várias propriedades nutritivas e curativas, sendo uma delas o alto conteúdo de fibra e, assim, um importante regulador da função intestinal. Ótimo para o estômago, é interessante que se ingira apenas a parte central mais dura da fruta, já que a parte mais macia da polpa e ácida e quem tem problemas estomacais não deve consumir. A quantidade de vitamina A e C é muito alta e, portanto, um preventivo do envelhecimento celular, assim como também um excelente tônico para a pele e os olhos.

Mas a propriedade mais importante do abacaxi está no seu sumo (parte líquida da fruta). Um poderoso fluidificador – substância que tem a capacidade de transformar o muco (catarro) que é de natureza gelatinosa – em líquido. Sendo o muco um gel, ele fica preso nas paredes pulmonares e nas vias respiratórias e é difícil de ser expelido pela tosse, causando doenças inflamatórias como a bronquite e a pneumonia.

Mas é necessário lembrar que só é fluidificador a parte líquida da planta quando separada da polpa, e a única maneira correta de obtermos uma separada da outra é procedendo da seguinte maneira:

Corta-se um abacaxi pequeno em fatias e depois em cubinhos, coloca-se tudo numa tigela de vidro ou louca (não use plástico nem alumínio). Em seguida, cubra com 15 colheres de sopa de mel puro e adicione 15 gotas de própolis (que pode ser encontrada em casas de produtos naturais). Deixe em descanso por 6 horas e coe em peneira fina, sem espremer. Deixe o líquido escorrer lentamente, em seguida armazene em um recipiente de vidro escuro e leve à geladeira para conservação. Assim teremos um poderoso fluidificador que será muito benéfico nos casos de gripes e resfriados com muco e também nos casos de problemas nas vias respiratórias aéreas como as sinusites.

Podem fazer uso desse delicioso remédio crianças a partir de 3 anos de idade, adultos e idosos de qualquer idade. Crianças de 3 a 12 anos devem tomar 1 colher de sobremesa 3 vezes ao dia e os adultos uma colher de sopa 3 vezes ao dia. A parte da polpa que restou na tigela pode ser servida como uma deliciosa sobremesa, que irá beneficiar os intestinos. Façamos uso consciente de mais esse remédio natural. Somos o produto direto daquilo que comemos e bebemos, e na grande maioria dos casos, nossa boa saúde depende somente de nós!

* Deborah Lemes é antropóloga, terapeuta e possui mestrado em Medicina Chinesa. Ela é brasileira e reside em Los Angeles há vários anos.

Facebook Comments