Há uma dúvida pairando a mente dos norte-americanos de todo o país nesse momento: quem foi imunizado com a vacina da Johnson & Johnson, de dose única, deveria receber uma dose de reforço?

O New York Times reuniu informações interessantes e atualizadas sobre o que se sabe hoje, em termos científicos, e cabe a você tomar a decisão que achar melhor quando à vacinação.

Alguns fatos importantes

1. Desde o início, a vacina Janssen, da J.&J, pareceu ser menos eficaz do que as vacinas de dose dupla da Moderna e Pfizer. O imunizante da Johnson & Johnson ainda oferece boa proteção contra as formas graves de covid-19, mas não tanto quanto as outras. E a variante Delta pode estar comprometendo esse grau de proteção.

2. Autoridades da saúde dos EUA foram sugestivos quanto à aprovarão de uma dose de reforço, eventualmente, para quem tomou a vacina Janssen. Mas, caso aconteça, a aprovação de uma segunda dose pode levar semanas, senão meses.

3. Independentemente disso, muitas pessoas aparentemente não estão interessados ​​em receber uma segunda dose da Janssen, mas sim uma dose da Moderna ou da Pfizer – no que se conhecem como a abordagem de misturar e combinar vacinas para aumentar a proteção contra a covid-19.

4. Muitos especialistas acreditam que essa abordagem será eficaz, talvez até mais eficaz do que duas doses da mesma vacina. A Grã-Bretanha usou essa estratégia, dando a muitas pessoas que receberam a vacina AstraZeneca (que é semelhante à da Jonhson & Jonhson) uma segunda dose de reforço da Moderna ou da Pfizer.

5. Mas ainda não há muitos dados sobre os benefícios ou riscos da combinação de Janssen e de outras vacinas.

6. Um grande número de médicos e especialistas da área da saúde que receberam a vacina da Johnson & Johnson não está esperando o governo agir. Vários deles receberam uma vacina de reforço da Moderna ou da Pfizer. “Às vezes, a saúde pública exige a tomada de decisões difíceis sem um conjunto de dados completo para apoiá-la”, escreveu Angela Rasmussen, virologista que recebeu uma dose da Pfizer após receber o imunizante da Johnson & Johnson. A cidade de San Francisco também começou a oferecer uma dose de reforço da Moderna ou e da Pfizer para quem tomou a Janssen há cerca de um mês.

7. Quando a Dra. Rochelle Walensky, diretora do C.D.C., foi questionada se ela considerava um erro que pessoas que tomaram Janssen buscassem mesclar com outras vacinas, ela revelou: “Não acho que seja um erro – de acordo com o que vi até agora”.

8. Receber uma dose de reforço da Moderna ou da Pfizer pode não ser fácil. Como o governo não autorizou, médicos muitas vezes se recusam a aplicar. Muitas pessoas estão compreensivelmente frustradas com a situação: isso porque parece haver um tratamento diferente para quem da área médica, e para as demais pessoas.

9. Ainda assim, se quiser arriscar, você tem algumas opções. É possível tentar, em diferentes drogarias ou clínicas, encontrar uma que esteja disposta a dar uma dose de Pfizer ou de Moderna a quem tomou Janssen. Caso você queira se abster de contar a verdade ou não seja perguntado seu histórico de imunização… Acredite, você não estará sozinho.

O que se sabe até agora

A evidência que a ciência tem disponível hoje sugere que quem tomar uma combinação de vacinas se beneficiará. Não há sinais de efeitos colaterais preocupantes até o momento. E, no momento, a variante Delta é uma ameaça ainda maior à vida humana do que as versões anteriores de covid-19. Ao esperar, você pode estar permitindo que a cautela burocrática atrapalhe sua saúde.

É válido lembrar que a dose única de Janssen ainda oferece boa proteção e o governo pode permitir em breve uma dose de reforço do imunizante. Ainda não há dados rigorosos sobre os benefícios ou riscos da abordagem combinada com a vacina da Johnson & Johnson.

Facebook Comments