Por Lindenberg Junior 

    

A Square Enix mostrou recentemente sua estratégia que causou “tititi” na indústria de gaming. Se você não sabe, essa empresa é a que está por trás da franquia “Final Fantasy”, uma das séries de games de maior sucesso de todos os tempos – entre outros. Já no início de 2022, a empresa divulgou que pretende investir fortemente na tecnologia de blockchain e tokens não- fungíveis (NFTs).   

O Blockchain é conhecido como um protocolo de confiança. Essa tecnologia possibilita o registro seguro e transparente de dados, os quais são organizados em blocos. Já os NFTs se tornaram uma das maiores tendências do mundo dos criptoativos em 2021.

O tititi relacionado à Square Enix se deve em parte porque a gigante demonstra que vai ter uma postura mais agressiva que qualquer empresa de games. Claramente parece que a indústria do games será forçada a ir nessa direção. Se pensarmos na economia desse nicho podemos dizer que está poderosa e tende a crescer ainda mais.  

Empresas como a Square Enix lançam um novo game e o vendem por uma média de US$65. Daí eles trabalham para lançar um novo game ou uma sequência do anterior. A maioria dos games não fornece um fluxo de receita recorrente – pelo menos não no lançamento. Com os NFTs essa dinâmica muda.    

Muitos games já contêm itens e equipamentos para os players usarem à medida que avançam. O que dá certos benefícios ou mais habilidades dentro do jogo. O Square Enix deve criar itens do game como NFTs, o que permite a propriedade individual – e imaginamos muito mais caros.  

A empresa também pode criar um mercado para os players comprarem e venderem esses NFTs entre si. E, obviamente, essa dinâmica permitiria que os preços de mercado se formem, e consequentemente, os NFTs mais úteis e mais raros seriam vendidos por muito mais dinheiro.   

Isso também pode permitir que os players ganhem dinheiro real com esses NFTs, o que significa que eles podem ganhar uma renda apenas jogando, e se tornaria algo “viciante”. Além disso, a Square Enix poderia programar cada NFT usando um “smart contract” (termo usado na tecnologia blockchain)  para que a empresa recebesse um pequeno royalty toda vez que houvesse a venda.  E isso criaria um fluxo de receita recorrente. Imagine agora isso para milhares de itens e em muitos jogos diferentes.    

Essa estratégia pode gerar um enorme incentivo monetário e imaginamos que, por isso, outras empresas de games entraram nesse “trem” e seguiram na mesma direção. Curiosamente, uma boa parte da base de fãs da Square Enix não gostaram inicialmente da ideia e não querem ver NFTs incorporados em seus games favoritos.

O que podemos entender é que muitos jogadores são apaixonados por seus games favoritos e relutam em ver sua experiência mudar de uma hora para outra – ou seja não querem lidar com as complexidades adicionais que os NFTs trariam.   

Mas os incentivos monetários são grandes demais para serem ignorados. O que podemos ver agora seria apenas o começo de uma grande tendência, pois veremos, muito provavelmente, muito mais games com a incorporação do  NFT’s no mercado em 2022.  

E se você adora o tema tecnologia queremos te dar uma dica legal! A nossa edição 110, de Nov/Dez de 2021, teve o tema “Tecnologia” pela primeira vez em quase 20 anos de Soul Brasil. Lá você encontra vários artigos interessantes sobre NFT, criptomoedas, metaverso, o que se pode esperar em um futuro próximo com 5G e Robótica, e muito mais! E o melhor, você pode ler gratuitamente clicando aqui.

 

 

*Quer ser especialista em criptomoedas e aprender a fazer investimentos seguros? Nós criamos um treinamento completo sobre criptomoedas, como funcionam, como negociar, como criar a carteira ideal, como trocar, e toda a tecnologia que envolve o negócio! Seja um MESTRE DAS CRIPTOMOEDAS! Acesse este link e compre o curso em preço promocional.

 

Facebook Comments