Por Rosana Braga

 

Em primeiro lugar, devo começar por esclarecer: não acredito em generalizações. A ideia de que “homem é assim…” ou “mulher é assim…” simplesmente não funciona! Existem diversos tipos de homens e mulheres no mundo e, se todos os homens fossem mentirosos e todas as mulheres fossem egocêntricas — como muitas vezes é sugerido — não haveria necessidade de investir muito tempo na procura de um companheiro, pois todos os potenciais parceiros seriam iguais.

Como sou mulher e brasileira, vou dedicar alguns instantes para escrever sobre o que acredito que as mulheres brasileiras querem quando o assunto é relação sexual. Embora eu não acredite em generalizações, existem alguns desejos femininos padrão, ou melhor, uma forma de ser e sentir, que faz parte do psiquismo feminino. Isso não significa que todas sejam iguais.

Uma mulher quer se sentir desejada e amada! E acrescento algo importante sobre a mulher brasileira: além de amor e sexo, ela gosta de se sentir protegida por seu homem. Ela é uma mulher independente, mas, pela nossa história e cultura, a mulher brasileira também gostaria que seu homem cuidasse de algumas questões.

Eles querem que os homens tirem suas roupas e mergulhem visualmente seus corpos com ternura e suavidade. As mulheres querem sentir o calor de sua boca queimando sua pele como se fosse a última chama. Embora uma mulher possa ser precipitada, ela também quer ser levada lentamente. Ela quer sentir que cada centímetro de seu corpo é domado, como se tivesse, finalmente, aberto um mapa do prazer. Seria melhor se tudo não fosse apenas prazer, mas que sua experiência sexual tivesse interesse, intimidade e intensidade.

É isso: tem que estar “dentro”! Mais do que dar, a mulher quer se entregar. Ela quer ser consumida por sua experiência sexual; ser possuída com afeto e respeito. Ela quer o que Zélia Duncan canta tão lindamente, na música “Sentimento” (Sentimento): “Transfira para o meu corpo seus sentimentos, que eu possa sentir sua dor, seus gemidos, e entender porque eu te quero …” .

Houve um tempo em que as mulheres tentavam aceitar a superficialidade (facilidade) de como os homens percebem o sexo. Eles se contentariam com um orgasmo para substituir a falta de afeto em seu relacionamento sexual. As mulheres tentaram se convencer de que sexo por sexo era o suficiente para se ajustar às circunstâncias. No entanto, nunca conheci uma mulher que ficasse satisfeita em aceitar isso e não ter mais nada.

Sei bem que, se as mulheres pudessem desejar apenas esse tipo de relação sexual, seria mais simples, porque isso é fácil de encontrar. Mas para ser feliz, brilhante e completa? Nunca! A mulher deseja desfrutar com o coração e, embora às vezes possa cobiçar um homem por puro prazer, se for para a cama com ele, sabe que nunca mais será a mesma. Não estou falando de fatos, mas sim da natureza feminina.

Não importa o que uma mulher diga ou o quanto tente ser independente, soberana ou autossuficiente. Não importa o que ela faça depois de acordar, se vestir e sair para o mundo; tudo o que uma mulher deseja é doar-se inteiramente, de corpo e alma… para ser amada!

* Rosana Braga é jornalista, conferencista, consultora de relacionamentos e autora de vários livros. Ela é colaboradora de longa data da Soul Brasil – www.rosanabraga.com.br e vive em São Paulo.

 

Facebook Comments